Conto erótico velho e novinha

Conto erotico velho transando com novinha. O coroa se deu bem metendo com uma ninfeta gostosinha que trabalhava com safado todos os dias.

Olá galera sempre curti conto erotico seiren e conto erótico de traições. Hoje decidi escrever algo a todos vocês e espero que gostem.

Trabalhei durantes quinze anos em uma grande empresa do ramo metalúrgico.
Alguns anos depois de começar a trabalhar nessa emprega começa a trabalhar lá uma morena linda, 1,65 de altura, cinturinha fina, cabelo afro, bunda grande mas não muito, uma verdadeira deusa. Ela era uma subcontratada e ficou lá por cerca de oito meses. Eu me encantei com a moreninha mas nunca me aproximei principalmente por causa da nossa diferença de idade.

continua depois da publicidade

Alguns anos depois ela foi contratada pela empresa veio a trabalhar próximo do meu posto de trabalho.

Gianne, ou Gi, que é como a maioria a chamava, estava ainda mais bela. Eu babava toda hora que ela passava próximo de mim, não conseguia tirar os olhos dela.
Meses depois houve uma reestruturação na área e ela passou a trabalhar na baia ao lado da minha e sob a mesma chefia. Como fazíamos parte da mesma equipe passamos a conversar bastante, principalmente sobre trabalho e com o tempo acabamos ficando mais íntimos e passei a chama-la carinhosamente de Neguinha.
Muitas vezes íamos para sala do café juntos e falávamos de nossa vida e perspectivas e outras coisas mais íntimas, ficamos mais amigos do que nunca e eu já tinha batido mil punhetas pensando nela. Pela nossa diferença de idade nunca ousei cantá-la, afinal eu tinha o dobro da idade dela, ela tinha idade para ser minha filha.

Um dia o sindicato fecha a entrada da empresa e não deixa ninguém entrar por causa da dificuldade da negociação salarial anual.

Eu e Neguinha conseguimos entrar. Na área só tinha nós dois e mais uns dez ou doze colaboradores.

Passamos boa parte da manhã trabalhando e também conversando sob banalidades. Naquele dia ela estava deliciosamente gostosa, com uma blusinha azul e uma saia que ia até altura do joelho. Saia essa que realçava a bundinha dela.

continua depois da publicidade

Ali pelas quatro horas da tarde, não tínhamos mais nada para fazer e ela puxou uma cadeira se sentou próxima a mim e começamos a conversar se devíamos ir embora ou não. Ela estava sentada na minha frente a com as pernas cruzadas exibia aquela coxa morena maravilhosa. Ela percebeu que eu estava olhando – também não tinha como não perceber – e perguntou o que eu tanto olhava e eu respondi:
– Neguinha, com essa perna cruzada você me mata do coração, essas pernas com toda essa morenice além de lindas devem ser macias como seda.
– Gostou, né seu véio tarado!
– Sim gostei demais e queria sentir se elas são macias mesmos.
– Mas é um véio safado mesmo. Se quiser saber se é macia vem aqui.

Nossa! Esse convite quase para o meu coração.

Puxei a cadeira próximo a ela, encostei a cadeira em sentido contrário à cadeira dela, olhei para todos os lados e cantos para ver sem tinha alguém vendo e coloquei a mão direita sobre o joelho esquerdo dela. Ela olhava para frente para ninguém nos pegar.

continua depois da publicidade

Fui caminhando com a mão pela perna dela, passando lentamente em cada pedacinho daquela perna chegando até aquela coxa morena macia e deliciosa.
– Isso véio tarado, abusa da sua Neguinha, faz tempo que você quer não é mesmo?
– Sim Neguinha deliciosa, há muito tempo quero esse corpo.
– Aproveita então seu safado.

Ela abriu as pernas me oferecendo mais e eu toquei na calcinha dela. Estava úmida mostrando que ela também era safada e estava gostando.
– Véio tarado, eu sabia que isso um dia ia acontecer. Vamos embora para outro lugar.

Arrumamos nossas coisas e fomos para um motel próximo à empresa.

Ao adentrar o quarto ela pulou na cama e mandou eu deitar do lado dela. Ainda vestidos ela começou a me fazer carinhos no rosto e me disse:
– Devo estar louca, você tem idade para ser meu pai e eu aqui no motel com você.

E nos beijamos, inicialmente um beijo com carinho e depois um beijos ardente, caloroso, tarado.

Ela se levantou e tirou a blusa, o sutiã e a saia, ficamos só com a calcinha branquinha e minúscula. Eu ia tirar a roupa e ela pediu para não tirar pois ela queria tirar e assim o fez, tirou minha camisa, meus sapatos, meias e calça, deixando-me só de cueca.

Deitamo-nos um ao lado do outro e começamos a nos beijar e a alisar. Eu alisava aqueles peitinhos lindos e ela alisa o meu peitoral. Ora eu beijava e chupava os peitinhos dela, ora ela fazia a mesma coisa no meu peitoral.

Mas fui descendo pelo corpo dela, peitos, umbiguinho, barriguinha, chegando finalmente à bucetinha dela. Comecei lambendo aquela maravilha pequenininha e ao sentir o grelinho dela já entumescido passei a lambe-lo e chupá-lo arrancando dela gemidos de prazer. Quanto mais eu brincava na bucetinha dela mais ela se contorcia na cama e ao aproximar o gozo espremeu a minha cabeça com as pernas e com as mãos forçava a minha cabeça de encontro à bucetinha dela. Gozou deliciosamente.

– Não acredito, nunca gozei com meu namorado me chupando, nenhum deles conseguiu isso, só você meu Vadinho querido, meu véio tarado.

Após relaxar um pouco ela começou a fazer carinhos no meu peitoral e foi me beijando e chupando o corpo até chegar na minha pica. Ela lambia a cabeça, passava a língua por todo ele e ia até o saco. Enfiava o saco, com carinho, na boca, tirava e voltava para o pau. A boca dela na cabeça do meu pau me dava um tesão enorme e quando ela passou a engolir quase toda a pica precisei de um esforço mostro para não gozar.

Ela de repente parou e me perguntou se queria gozar na boca ou na bucetinha dela. Falei que ela podia escolher, e ela escolheu. Subiu no meu pau e com a bucetinha engoliu-o, ela mordia o meu pau com a bucetinha. Subia e descia me dando um tesão que não tem como descrever.

Me cavalgou por vários minutos e eu avisei que ia gozar, ela acelerou os movimento e ao sentir que comecei a gozar abaixou-se sobre mim e me beijou ardentemente.

Ficamos vários minutos abraçados e depois fomos tomar banho. Demos banho um no outro.

Deitamos novamente na cama abraçados e ela aninhou-se no meu peito e acabamos adormecendo.

Acordei com ela brincando com a mão no meu pau.
– Satisfeito, véio safado tarado?
– Sim e não.
– Como assim?
– Ainda não provei aquilo que todo mundo quer de você.
– O quê?
– Sua bunda maravilhosa.
– Ah, mas eu só dei uma vez e não gostei.
– Prometo ser carinhoso.
– Mas se doer eu paro, ok?
– Sim ok, minha Neguinha.

Coloquei-a deitada com a bundinha para cima e comecei a beijar os ombros, as costas até chegar perto da bunda maravilhosa. Passei a fazer carinhos na bunda e a beijar e dar pequenas mordidas. Fui até as pernas onde continuei fazendo carinhos,

Abri as pernas dela e fiz carinhos na parte interna das pernas subindo lentamente até chegar de volta na bunda e dessa vez indo até o cuzinho.

Coloquei-a de quatro e passei a língua no cuzinho, enfiava a língua e lambia o cuzinho, enfiei um dedinho e ela não reclamou, até gostou, tirei e lambi mais deixando bem molhadinho e depois enfiei dois dedos. Ela passou a dar pequenos rebolados com meus dois dedos no cuzinho. Perguntei se estava doendo e ela disse que não.

Tirei os dois dedos e voltei a encher o cuzinho dela de saliva, molhei a cabeça do meu pau na saliva, apontei na porta do cuzinho e fui forçando devagar. Ela começou a reclamar de dor e nessa hora empurrei a cabeça para dentro e ela deu um gritinho e mandou eu parar e tirar.

Falei que a dor já ia passar e ficamos parados um tempo e ela começou a mexer a bundinha para trás e para frente. Cada vez que ia para trás meu pau entrava mais um pouco e não demorou muito eu estava todinho dentro dela.

Comecei a socar e ela a gostar dizendo que estava bom. Acelerei os movimentos dizendo que ia gozar e ela mandava eu gozar no cuzinho dela que estava bom demais. Urrei de tesão e jorrei mais leite dentro dela. Ela se tocava enquanto eu comia o cuzinho dela e ela gozou logo depois de mim.

Desmontamos na cama e ficamos um bom tempo parados, abraçados de conchinha.

Depois tomamos outro banho a fomos embora.

Infelizmente nunca mais pudemos repetir pois logo depois ela foi começou a namorar sério e está até pensando em casar.

Relacionados

Deixe seu comentário

© 2020 - Fotos Amadoras – Fotos De Sexo Caseiro – Sexo Em Quadrinhos – Contos De Sexo



foto de bucetasfotos sexo gratisfotos de loiras nuascasais exibicionistasfotos de gordinhas nuascontos heroticosfotos de mulher nuaquadrinhos eroticos os simpsonskauanne felicioquadrinhos sexquadrinhos eróticosquadrinhos eroticos contossnap nudeshq eróticasexo em quadrinhos gratiskauanne felicioquadrinhos xxxfotos de sexo gratiscomtos eróticoscontoseroticos com fotosmenage masculinofotos de coroas bucetudasquadrinhos erotgibi eroticocontospornoconto eróticomulher pelada caseirafotos de dupla penetraçãorevista porno em quadrinhosputaria em quadrinhosconto erotico novinhafotos sexo analcontos erotihq eroticofotos de gostosas amadoraspriminha gostosa 17 parte 3fotospornoconto erotico em quadrinhoscontos eroticos de casadascontos eroticos verdadeirocontos eroticos cornossakura peladapriminha gostosa 14contos eróticos com fotoquadrinhis eroticosos flintstones pornocontos eróticos incestospriminha gostosa 22quadrinhos eroticos os simpsonspriminha gostosa 17hq eróticaquadrinhos eróticos de incestofotos de sexo amadoravideos amadores brasileirospriminha gostosa 20novinhas amadoras fotosfotos de casadas gostosascontospornofamilia sacana de graçarevista em quadrinhos de sexohqs sexofotos de novinhas dando o cuputaria em quadrinhoscontos eroticos novoscontos eróticos de traiçãonegras nuas fotosninfetas fotoscontos eroticos de casadasfamilia sacana quadrinhos gratispriminha gostosa 13mulher melao peladahistorias em quadrinhos de sexomulheres casadas nuasquadrinhos de sexoplayboy famosascontos de sexocontos de sexoquadrinhos eroticos em familiacontos eroticos em quadrinhos gratisporno contosfotos de esposas nuascontos cunhadafotos de sexocontos e quadrinhos eroticosquadrinhos eroticos hqfotos de novinhas gostosasfoto de mulher peladafotos porno caseirasfotos ninfetas